NW3627 – Foto Autografada do Oberst Wolfgang Falck, Criador dos Caças Noturnos

Fora de estoque

Descrição

Wolfgang “Wolf” Falck é considerado unanimemente um dos grandes visionários da Luftwaffe e chamado, merecidamente, de “Pai da caça Noturna” – seu sucesso como piloto de caça pouco importa diante dessa sua grande realização, que teria um impacto profundo na condução da guerra. A carreira militar de Falck começou em abril de 1931, quando ele foi aceito como membro do diminuto Reichswehr, como era chamado o Exército da República de Weimar, sob as restrições do Tratado de Versailles. Em razão de suas qualidades pessoais, Falck foi escolhido com outros 29 brilhantes cadetes para serem treinados clandestinamente como pilotos de caça na base alemã mantida em Lipetsk, ao sul de Moscou (URSS). Seu treinamento começou em abril de 1932 e, quando ele retornou à Alemanha, seis meses mais tarde, ele foi incorporado a um regimento de infantaria em Schweidnitz. A partir de 01.02.1933 Falck freqüentou a Escola de Infantaria em Dresden, em preparação para se tornar um oficial, sendo que foi promovido a Leutnant em 01. 10.1934. Mesmo ainda na clandestinidade, ele conseguiu cumprir seus treinamentos de reciclagem de seis semanas à bordo de biplanos Arado Ar 64 na escola de vôo de Schleissheim. Em março de 1935, o Leutnant Falck tornou-se Kettenführer (Instrutor) na Deutsche Verkehrsfliegerschule (Escola de Tráfego Aéreo), também situada em Schleissheim,  já como membro da recém oficializada Luft waffe. Promovido a Oberleutnant em 01.04.1936, Falck foi transferido para a JG 132 “Richthofen” (Jagdgeschwader 132), foi nomeado Staffel kapitän do 5º Staffel (5./JG 132), então baseado em Jüterbog-Damm. Em 01.07.1938, com a criação do Gruppe III da JG 132 (III/JG 132), Falck assumiu o comando do 8º Staffel, sediado em Fürstenwalde. Esse novo Gruppe foi, mais tarde, renomeado I/ZG 76 (Gruppe I da Zerstörergeschwader 76) e equipado com o caça pesado bimotor Messerschmitt Bf110. Ele estava servindo com essa unidade quando da eclosão da II Guerra Mundial, em setembro de 1939. Falck lideraria seu Staffel durante a Campanha da Polônia, a partir de sua base em Ohlau, na Silésia, obtendo suas três primeiras vitórias durante os combates contra a pequena força aérea polonesa. No fim daquele ano ele seria realocado para a Baía Germânica, passando a ficar sediado em Jever. Aí, defendendo a esquadra alemã lá ancorada, ele tomou parte da batalha aérea contra os bombardeiros bimotores Wellington da RAF que atacaram o porto de Wilhelmshaven em 18.12.1939. No combate que se seguiu, Falck alegou dois abates, mas somente um pôde ser confirmado. Contudo, ele mesmo foi obrigado a fazer um pouso forçado em Wangerooge, após seu havia ser danificado pelo fogo defensivo dos bombardeiros britânicos. Em 19.02.1940, o agora Hauptmann Falck foi designado Gruppenkommandeur do I/ZG 1, baseado em Düsseldorf, mas no início de abril foi realocado para Barth, na costa do Mar Báltico. Em 09.04.1940, Falck liderou seu Gruppe na invasão da Dinamarca, e obteve sua oitava e última vitória (um Fokker D.XXI em Vaerlöse) durante a ocupação da Holanda. Enquanto estava baseado em Aalborg, no norte da Dinamarca que Falck, acompanhando os ataques que os bombardeiros da RAF faziam em sua base, à noite, sem serem molestados, preparou um extenso relatório sobre teorias de interceptação noturna. Em maio de 1940 o I/ZG 1 participou da Campanha da França e, após a rendição dos franceses, ficou sediado em Le Havre, a partir de onde efetuou missões contra a RAF no Canal da Mancha. No entanto, à essa altura, o dossiê de Falck chegou às mãos do Alto Comando da Luftwaffe (Oberkommando der Luftwaffe – OKL), causando tal repercussão que o Generalfeldmarschall Albert Kesselring ordenou a Falck que  retornasse com o seu Gruppe para Düsseldorf, a fim de formar a primeira unidade de caça noturna da Luftwaffe: a legendária Nachtjagdgeschwader 1 (NJG 1). Desse modo, Falck tornou-se Kommodore da NJG 1 em 26.06.1940 e, finalmente em 07.10.1940 o Major Wolfgang Falck foi condecorado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro. Ele permaneceria à frente da NJG 1 pelos próximos três anos e cinco dias, mas seu principal legado nesse período foi estabelecer, em parceria com o General Josef Kammhuber, uma mortalmente eficaz força de caças noturnos a Nachtjagdwaffe. Em 01.07.1943 Falck foi promovido ao posto de Oberst e transferido para o Generalstab, como representante do General Kammhuber junto ao Luftwaffenführungsstab.  A longa parceria de ambos acabaria quando eles discordaram sobre a direção que a Nachtjagdwaffe deveria tomar com a intensificação dos ataques britânicos a partir do final de 1943. Consequentemente, ele deixou seu posto e foi nomeado Luftwaffenbefehlshaber Mitte (Comandante Supremo da Luftwaffe no Centro), sendo responsável pela força de caças noturnos e diurnos que atuavam na Defesa do Reich, cujo comando ficava em Berlim. Ele permaneceria nessa função até o fracassado atentado contra Hitler, em julho de 1944. Por essa época, Falck aproximou-se do General der Jagdflieger Adolf Galland requisitando um posto longe de Berlim, conseguindo ser designado Jagdfliegerführer Balkan (Líder dos Caças nos Bálcãs), cujo quartel-general ficava em Pancevo (próximo a Belgrado, Iugoslávia). No dia de sua chegada a Belgrado, a Romênia deixou o Eixo e juntou-se aos Aliados, seguida da Bulgária. Isso forçou Falck a deslocar seu comando para Viena (Áustria). Pouco depois, ele foi designado General Flieger-Ausbildung, responsável por todas as escolas de treinamento de pilotos da Luftwaffe. No entanto, em 01.03.1945 foi lhe dado o comando de uma unidade de caças no Reno, mas o desenrolar da guerra, com o rápido colapso do III Reich, impediu-o de assumir  seu posto. A guerra, para Falck, acabou no dia 03.05.1945, quando foi feito prisioneiro dos americanos na Bavária. Falck foi solto em 07 de junho de 1945 e desempenhou uma série de atividades nos anos imediatamente posteriores ao fim da guerra. Ele trabalhou em uma fazenda, como vendedor de produtos farmacêuticos e até para o Exército Britânico como oficial civil nos depósitos do 47º Regimento Real de Engenheiros. Nesse período, ele freqüentou  uma escola noturna e graduou-se em Administração, o que resultou em um cargo em uma empresa que produzia baralhos. Em 1961, quando já atuava como gerente desta companhia, Falck foi contatado por um funcionário da North American Aviation, que o convidou para juntar-se àquela empresa como consultor. Ele não perdeu a oportunidade de retornar ao campo da aviação e aceitou. Cinco anos mais tarde ele passou a trabalhar para a McDonnell Douglas, onde permaneceu até se aposentar em 1986. Após sua aposentadoria, e casado pela terceira vez (com a viúva do ás Hans “Assi” Hahn), Falck mudou-se para St. Ulrich, próximo aos Alpes austríacos, onde viveu até falecer de causas naturais em 13 de março de 2007, aos 96 anos de idade. Ao longo de sua carreira, o Oberst Wolfgang Falck voou 90 missões de combate e abateu oito aviões inimigos (três poloneses, quatro britânicos e um dinamarquês). Mas seu verdadeiro legado foi ter desenvolvido e liderado a revolucionária Força de Caças Noturnos da Luftwaffe, em uma das muitas difíceis tarefas da guerra. (Fonte: www.luftwaffe39-45.com.br). Foi condecorado com a Cruz de Cavaleiro em 01/10/1940 (1° Condecorado da Aviação de Caça Noturno da História), com a Cruz de Ferro de 2ª e 1ª Classe, com o Spange de Caça Noturno e com o Badge de Piloto.

Copia moderna de uma foto original de época com o autografo original de punho do veterano. Autografo em caneta de tinta azul. Acompanha carta de Falk encaminhando a foto, com autografo e Breve histórico de Falk, com a imagem de seus 2 caças noturnos ME-110 e com seu desenho também autografado. Ou seja, 3 peças com autógrafo do Veterano.

Dimensões (10,0×14,6)cm

 

Observação: Pode ser enviado por carta registrada R$10

Agora você pode pagar parcelado no cartão de crédito!

pagamento com pagseguro