NW195 – Foto Autografada do Ás Panzer das Waffen SS Rudolf von Ribbentrop

Fora de estoque

Descrição

 

 

Rudolf von Ribbentrop nasceu em 10 de maio de 1921 na cidade de Wiesbaden (Alemanha), sendo filho do embaixador alemão e futuro Ministro das Relações Exteriores do Reich Joachim von Ribbentrop (1893-1946). Ele seria educado em Berlin, mas fez parte de seus estudos na Westminster School em Londres enquanto seu pai era diplomata nesse país. Ao retornar para a Alemanha, Ribbentrop foi convocado para servir junto ao RAD (Reichsarbeitsdienst), onde permaneceu por seis meses. Com o início da guerra em 01 de Setembro de 1939, Ribbentrop servia junto ao SS-Verfügungstruppe e, posteriormente, foi transferido para 11. Kompanie do SS-Regiment Deutschland, unidade com a qual receberia seu batismo de fogo na Blitzkrieg. Foi durante o avanço da Wehrmacht rumo ao oeste que ele seria condecorado com a Cruz de Ferro de 2ª Classe em 19.06.1940. Com o início de uma relativa paz na Europa Central, Ribbentrop foi enviado para a Junkerschulle de Braunschweig onde, após realizar o curso de oficial, foi promovido a SS-Untersturmführer em abril de 1941. Com a conclusão do treinamento, ele seria designado para atuar na seção norte da Frente Oriental (Finlândia), comandando a 1ª Companhia de Reconhecimento. Foi nesse front em que ele tomou parte dos ferozes combates contra os soviéticos até ser ferido em ação com um tiro no seu braço esquerdo. Condecorado pelos finlandeses com a Cruz da Liberdade de 4ª Classe em 01 de Outubro de 1941, Ribbentrop foi enviado ao hospital de Hohenlynchen para se recuperar de seus ferimentos, onde ficou até fevereiro de 1942. Enquanto isso, ele seria transferido para a 1. SS-Panzerdivision Leibstandarte Adolf Hitler. Inicialmente, Ribbentrop ocupou a posição de líder de pelotão junto a uma Kradschützenaufklärungkompanie (Companhia de Reconhecimento). Pouco tempo depois, ocuparia o Staff do seu Regimento na função de Oficial de Operações. Logo após isso, ele assumiria o comando da 6. Kompanie do II/Pnz. Regt. 1, comandando o primeiro batalhão. Foi com esse grupo de combate que Ribbentrop se envolveria em desesperados embates durante contra-ataque alemão para a conquista da cidade de Kharkov. Após ser ferido em ambos os ombros e receber um estilhaço de granada no pulmão nessa batalha, Ribbentrop recusou-se a ser evacuado e preferiu permanecer num hospital próximo às linhas alemãs. Paralelamente, os russos cercaram toda a tropa alemã ativa na área (organizada no Kampfgruppe Meyer). Depois de cinco dias de combate, a unidade decidiu-se em romper o cerco em direção ao sul da cidade, enquanto um pequeno batalhão liderado pelo Eichenlaubträger Max Wünsche, que permanecia do lado de fora do bolsão, enfraqueceria os russos naquele setor. Ribbentrop, mesmo ferido, assumiu o comando de seu tanque e auxiliou Wünsche na execução do plano, libertando o Kampfgruppe Meyer. Por esse feito, o Obersturmführer Rudolf von Ribbentrop receberia a Cruz de Ferro de 1. Classe no dia 18 de Março de 1943. Nesse mesmo dia, ele recebeu o comando da 7. Kompanie e dias mais tarde tornou-se Adjudant do seu regimento. Por um tempo ele permaneceria na retaguarda, treinando membros da Luftwaffe transferidos para a LSSAH. Em 15 de Junho de 1943 ele retornou ao front, agora liderando a 6. Kompanie então preparando-se para a Batalha de Kursk. Menos de um mês depois, em 09 de Julho de 1943, a companhia Ribbentrop encontrou uma maciça coluna de 40 blindados soviéticos na localidade de Teterewino, atacando-a imediatamente. A despeito de apenas seis veículos inimigos terem sido destruídos, a surpresa foi suficiente para os russos recuarem, impedindo o flanqueamento das posições alemãs. Entretanto, três dias depois os soviéticos contra-atacaram com mais de 150 tanques diante de apenas sete panzers liderados por Ribbentrop. Dois dos blindados alemães foram rapidamente destruídos e iniciou-se um feroz e longo embate. Após algumas horas os alemães conseguiram conter o avanço, destruindo uma série de tanques e causando pesadas baixas no inimigo. Nessa audaciosa operação, Ribbentrop destruiu sozinho 14 blindados russos. Em razão disso, ele foi agraciado com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro em 15 de Julho de 1943. Em 01 de Agosto de 1943, Ribbentrop foi dos muitos veteranos da LSSAH transferido para a recém-formada 12. SS-Panzerdivision “Hitlerjugend”. Ele permaneceria coordenando dois cursos de formação de oficiais por quatro meses até ser indicado para comandar a 3. Kompanie do I/Pnz.Regt 12. No dia 03 de Junho de 1944, Ribbentrop estava viajando para a cidade de Le Neubourg, França, quando seu carro foi atacado por um Spitfire inglês e ele ferido novamente na coluna e no pulmão, sendo enviado para o hospital militar de Bernay. Entretanto, ao saber que os aliados haviam desembarcado na Normandia e que sua unidade estava enfrentando dificuldades, Ribbentrop ordenou que seu médico lhe atestasse alta, juntando-se aos seus homens em 09 de Junho de 1944. Durante as defesas do litoral França, ele foi agraciado com a Cruz Germânica em 25 de Agosto de 1944 e com o Badge Panzer de 25 Assaltos. Em setembro Ribbentrop recebeu a função de Adjudant do Panzer Regiment 12, o qual foi posto na linha de frente da Ofensiva das Ardenas, participando da famosa Batalha do Bulge. No dia 20 de Dezembro de 1944, ele foi ferido pela quinta vez ao receber um estilhaço na boca. Condecorado com o Badge de Ferido em Ouro, Ribbentrop recebeu o comando o I./Pnz.Regt 12. Esse batalhão seria reagrupado na cidade de Colônia e enviado para defender a região do Lago Balaton, próxima a Budapeste (Hungria). A unidade tomou parte de seus últimos combates na Áustria, onde se rendeu para tropas norte-americanas em 08 de Maio de 1945. Ainda vivo nos dias de hoje e desfrutando de sua aposentadoria, o SS-Haupsturmführer Rudolf von Ribbentrop mostrou-se um corajoso e indestrutível soldado. Após a guerra ele não retornaria ao Exército, tornando-se um próspero empresário nas cidades de Frankfurt am Main e Wiesbaden. Condecorado com: Cruz de Ferro de 2. Classe (19/06/1940); Cruz de Ferro de 1. Classe (18/03/1943); Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro (15/07/1943); Cruz Germânica em Ouro (25/08/1944); Badge de Assalto de Infantaria em Bronze (01/10/1043); Badge de Ferido em Preto (18/04/1940); Badge de Ferido em Prata (01/05/1943); Badge de Ferido em Ouro (20/12/1944).

 

Copia moderna da famosa foto de Ribbentrop, em preto e branco. Autografo original de punho do veterano. Assinado com caneta azul. Dimensões (10,2×15,2)cm

Agora você pode pagar parcelado no cartão de crédito!

pagamento com pagseguro